Lixo Zero, entenda para você fazer a diferença

Excesso ou falta de chuvas, calores e frios fora de época, são alguns dos sinais de que as mudanças climáticas já estão ocorrendo em todo o planeta. Há estimativas que em 2050, nossos oceanos terão mais plástico do que peixes, e hoje já temos mais partículas de microplásticos nos oceanos do que estrelas na nossa galáxia, alerta o António Guterres, secretário-geral da ONU.

Esses dados nos mostram que precisamos rever urgentemente nossos hábitos e atitudes em relação a produção e consumo dos produtos e suas embalagens, bem como a separação e destinação dos resíduos gerados nas indústrias, comércios e lares, porque estudos da WWF de março deste ano, apontam que o Brasil é o 4º país do mundo que mais gera lixo plástico no mundo.

Embora a Política Nacional de Resíduos Sólidos em 2010 trouxe a seguinte hierarquia para a gestão de resíduos sólidos urbanos: a não geração, redução, reutilização, reciclagem, tratamento dos resíduos e a disposição final ambientalmente adequada dos rejeitos, desde a década de 70, na Europa o Conceito Lixo Zero é difundido visando o máximo aproveitamento e correta destinação dos resíduos recicláveis e orgânicos, levando à redução – ou mesmo “zerando” – o encaminhamento destes materiais para os aterros sanitários e incineradores.

Segundo o conceito estabelecido pela Zero Waste International Alliance – ZWIA, Lixo Zero é: “uma meta ética, econômica, eficiente e visionária para guiar as pessoas a mudar seus modos de vida e suas práticas de forma a incentivar os ciclos naturais sustentáveis, onde todos os materiais são projetados para permitir sua recuperação e uso pós-consumo.”

Podemos também dizer, que Lixo Zero é um estilo de vida - individual ou empresarial, no qual a partir do “olhar” para os resíduos que são gerados no dia-a-dia, cria-se a prática do consumo responsável e sustentável, a minimização na geração de resíduos, além de separar e destiná-los corretamente.

É uma tendência mundial, que atende praticamente os 17 Objetivos do Desenvolvimento Sustentável da ONU, desde a geração de trabalho e renda para pessoas em vulnerabilidade social, como os catadores; ao tratar os resíduos orgânicos o Lixo Zero incentiva tanto a agricultura urbana, melhorando assim a qualidade dos alimentos e por consequência a saúde das pessoas, bem como a geração de energia através de biodigestores que geram energia elétrica ou o gás metano que pode ser usado inclusive como gás de cozinha . Estimula a educação para a sustentabilidade ao longo da vida com novos saberes, abre possibilidades de empreendimentos para mulheres. Destinando os resíduos corretamente, as águas serão mais limpas e chegará menos lixo nos oceanos. Gera novos nichos de inovação para negócios e tecnologias mais sustentáveis, gerando trabalho decente e crescimento econômico. Com essas medidas diminuirá as desigualdades sociais, as cidades terão mais comunidades sustentáveis que através do exemplo das boas práticas, disseminará a cultura de respeito ao próximo, ao meio ambiente, à diversidade e principalmente a paz. E finalizando, o 17º Objetivo do Desenvolvimento Sustentável fala de parcerias e meios de implementação, o qual você pode contar com todo apoio da Barom para auxiliá-lo nessa jornada, de conexão com a mãe natureza, partindo de você até a sua empresa. Mensalmente traremos dicas, exemplos, sugestões e muito mais sobre Lixo Zero. Conte para nós qual assunto sobre Lixo Zero que você gostaria que fosse abordado na próxima edição!


Até lá! Abraços.

Celi Pereira

22 visualizações0 comentário