Condomínio Lixo Zero é possível! Inspirem-se nesses exemplos:

Há estimativas que em 2050, nossos oceanos terão mais plástico do que peixes, e hoje já temos mais partículas de microplásticos nos oceanos do que estrelas na nossa galáxia, alerta o António Guterres, secretário-geral da ONU. Esses dados nos mostram que precisamos rever urgentemente nossos hábitos e atitudes em relação a produção e consumo dos produtos e suas embalagens, bem como a separação e destinação dos resíduos. E preocupados com essa situações, vários condomínios optaram em ser sustentáveis e trouxemos dois exemplos que são o Orla Marítima Residence de Florianópolis e o Archiville em Santos.


O Orla Marítima Residence é um condomínio Lixo Zero, que utilizou o espaço físico destinado para a lixeira convencional para transformá-lo em residuário, ou seja, um local preparado para receber os resíduos já separados por tipo, mantendo limpo com uma estética organizada e bem apresentável, a qual estimula os condôminos a já descerem com seus resíduos separados e limpos.

Parte desse espaço são móveis planejados para receber os plásticos, latinhas, embalagens multicamadas (caixas de leite e suco, por exemplo) e metais.

Um recipiente para cada tipo de resíduos: vidro, óleo de cozinha, papel, papelão, lâmpadas, pilhas e baterias...

Esses coletores são para receber somente os rejeitos, ou seja, o que não pode ser reciclado e nem compostado - o lixo comum, exemplos: fraldas descartáveis, absorventes femininos, resto de varrição, cotonetes de plásticos, etc.

O Orla Marítima contratou uma empresa para tratar os resíduos orgânicos (cascas de ovos, legumes, frutas, borras de café e chás, restos de comidas), através de compostagem, e recebem em troca composto orgânico para usar na área verde do prédio.







O condomínio Archiville, em Santos, tem duas torres de minhocário para tratar os resíduos orgânicos gerados pelos condôminos. O humus e o biofertilizante produzidos pelo processo de vermicompostagem são usados no jardim e na futura horta vertical.

Essas ações geram o sentimento de bem estar entre os moradores, melhora a convivência, desenvolvendo o sentimento de cuidar da casa comum - condomínio e o planeta.


Dicas para que seu condomínio seja mais sustentável:


Hoje há condomínios que o espaço destinado para os resíduos é o mesmo para o lixo comum, não separam os resíduos recicláveis, tais como plásticos, vidros, metais, papéis e papelões para serem destinados à reciclagem, ou seja, infelizmente tudo vai para o aterro sanitário. Organize um espaço para que os condomínios tenham uma área específica para armazenar os resíduos recicláveis e outro somente para o lixo comum que será recolhido pelo caminhão de lixo tradicional. Com os resíduos recicláveis separados há condomínios que doam para as cooperativas de catadores, outros trocam com empresas especializadas por produtos de limpeza e outros vendem e com o valor arrecadado investem no próprio condomínio. Escolha uma das opções em assembléia para que todos façam parte do processo.

Muitos síndicos permitem catadores autônomos, que são mais simples e humildes, façam a triagem dos recicláveis de forma indigna, sem equipamentos de proteção, de qualquer jeito na rua em frente ao prédio ou dentro do próprio condomínio. Nestes caso aconselhamos aos síndicos que conversem com essas pessoas e perguntem quais são os resíduos que elas conseguem vender. Depois faça uma campanha interna entre os condôminos para sensibilizá-los para separar os resíduos em seus lares para destinar para essas pessoas. Assim elas terão uma melhor qualidade e quantidade de resíduos, e permitirá que elas coletam em mais condomínios, melhorando a renda dessas e garantindo a destinação ambientalmente correta desses resíduos.


Desapego - Pegue e Leve


Criar um espaço dentro do condomínio para que as pessoas possam colocar objetos que estão se desapegando, desde que esteja em boas condições de uso. Pode ser reutilizado uma prateleira ou um armário para deixar desde livros, revistas, utensílios de cozinha, roupas e outros itens para que qualquer pessoa do condomínio (morador, funcionário ou visitante) que precise pegue e leve. É uma forma de dar uma sobrevida maior a esses produtos, é uma atitude Lixo Zero.


Depois destes exemplos e dicas é hora de arregaçar as mangas, e por qual você vai começar?


Celi Pereira

18 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo